Bogos

setembro 19, 2008

View SQL

Filed under: SQL — Tags:, , , , , , , , , , — Bogos @ 1:10 pm

Pra quem ainda não sabe, uma view é uma maneira diferenciada de se selecionar dados (apesar de usar-se normalmente o SELECT). Também é chamada de consulta/tabela/dados virtuais ou uma consulta armazenada (como uma função-consulta).

Desconsiderando outros detalhes, a chamada de uma VIEW tem uma vantagem em relação à uma query chamada na base. Essa vantagem é o desempenho (o SQL tuning) pois as querys de uma VIEW são armazenadas em cache, agilizando o processamento da mesma.

Segue agora um trecho que peguei no site Devmedia de algumas características (vantagens e porque utilizar uma VIEW) das VIEWS:

As views nos possibilitam mais que simplesmente visualizar dados. Elas podem ser implementadas também com algumas aplicações de restrição:

– Restrição usuário x dados;

Ex.: Seu departamento de vendas não precisa saber ou ter acesso a uma coluna que contém valores (dados) referentes aos salários dos desenvolvedores.

– Restrição usuário x domínio;

Ex.: Podemos restringir o acesso de um usuário específico a colunas (domínios) específicas (os) de uma tabela.

– Associar vários domínios formando uma única entidade;

Ex.: Podemos ter várias “JOIN” encapsuladas em uma view, formando somente uma tabela arbitrariamente.

– Agregar informações, em vez de fornecer detalhes;

Ex.: Podemos apresentar um somatório de despesas em ligações de um determinado usuário, restringindo acesso aos detalhes da conta.

As vantagens de se usar views são:

– Economizar tempo com retrabalho;

Ex.: Você não precisar escrever aquela instrução enorme. Escreva uma vez e armazene!

– Velocidade de acesso às informações;

Ex.: Uma vez compilada, o seu recordset (conjunto de dados) é armazenado em uma tabela temporária (virtual).

– Mascarar complexidade do banco de dados;

Ex.: As views isolam do usuário a complexidade do banco de dados. Nomes de domínios podem ser referenciados com literais e outros recursos. Isso proporciona aos desenvolvedores a capacidade de alterar a estrutura sem afetar a interação do usuário com o banco de dados.

– Simplifica o gerenciamento de permissão de usuários;

Ex.: Em vez de conceder permissão para que os usuários contem tabelas base, os proprietários de bancos de dados podem conceder permissões para que os usuários consultem dados somente através de views. Isso também protege as alterações na estrutura das tabelas base subjacentes. Os usuários não serão interrompidos durante uma visualização de dados.

– Organizar dados a serem exportados para outros aplicativos;

Ex.: Você pode criar uma view baseada em uma consulta complexa, que associe até 32 tabelas e depois exportar dados para outro aplicativo para análise adicional. Pode ser gerado um arquivo de DUMP* automaticamente.

Bom, finalizando a explicação, vamos à sintaxe:

CREATE VIEW [NOME] ([COLUNAS])  AS [QUERY]

A sintaxe é fácil, NOME é o nome que você dará à VIEW, COLUNAS são as colunas que a VIEW irá retornar e QUERY é o SELECT da consulta.

Simples!
Abraços!

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: